Liso ou cacheado: Qual é o seu estilo?

CABELOS LISOS E SAUDÁVEIS

O alisamento está na moda e é uma boa solução para quem possui cabelos crespos ou cacheados e deseja tê-los lisos. As técnicas são várias, mas o assunto ganhou destaque entre as mulheres com o surgimento da chapinha japonesa, lançada em Nova York, há cerca de um ano. A favor dessas técnicas está a possibilidade de realizar o sonho do cabelo liso, que pode durar dias ou até meses, dependendo do método utilizado. Contra elas, porém, os cabeleireiros apontam os efeitos colaterais que o processamento químico e/ou mecânico pode causar. Sem os devidos cuidados, ele pode ressecar os fios e torná-los quebradiços. A perda do viço acontece porque o cabelo é composto basicamente por queratina, uma proteína que perde parte de suas funções – protetora e regeneradora – ao ser constantemente agredida por essas técnicas de transformação dos fios. Por isso, para manter a saúde e a beleza de seus cabelos, é importante que você conheça mais detalhadamente os principais métodos de alisamento e os cuidados para prevenir futuros problemas. Quem dá as orientações é o cabeleireiro Ricardo Cassolari, do salão L’ Autre Femme, profissional parceiro da Natura. Ele adianta: “é fundamental criar o hábito de tratar os cabelos adequadamente em sua casa, após os processos de alisamento”.

As técnicas de transformação São três os métodos mais utilizados nos salões para alisar os cabelos: o alisamento tradicional, o relaxamento e o recondicionamento térmico (ou chapinha japonesa). Os três processos exigem aplicações de produtos químicos e ações mecânicas, que incluem, desde a manipulação do cabeleireiro com escovas, pentes e secadores, até a utilização de equipamentos especiais, como as chapinhas térmicas. A chapinha japonesa combina as duas técnicas – a química e a mecânica – e por isso é considerada uma solução mais sofisticada e, portanto, mais cara. O método tem origem turca e foi desenvolvido pelo japonês Satoru Nagata, que cuida dos cabelos de artistas famosas no salão Oribe, em Nova York. Há cerca de um ano, essa técnica virou moda no mundo inteiro e tem sido muito procurada por mulheres que não se incomodam em gastar mais para manter os cabelos lisos. A boa notícia é que o crescimento da procura pelo método, segundo Cassolari, tem provocado a baixa nos preços dos serviços.

De qualquer forma, nenhum desses processos garante um alisamento definitivo. As propagandas sobre a chapinha japonesa, por exemplo, costumam confundir as mulheres. “Ela apenas desestrutura e alisa de forma permanente os fios aparentes, ou seja, os cabelos que começam a crescer na raiz serão novamente crespos ou cacheados, o que vai exigir retoques habituais”, esclarece Ricardo Cassolari. Um alerta: todas essas técnicas devem ser feitas por cabeleireiros profissionais. Mas cabe a você cuidar diariamente após os procedimentos. A manutenção dos cabelos quimicamente processados deve ser feita com produtos apropriados.

Alisamento e relaxamento

Se você quer eliminar temporariamente os cachos dos seus cabelos, o alisamento é a melhor opção. Uma das técnicas mais antigas utiliza-se da chapinha de ferro, também conhecida como prancha, que estira o cabelo depois de escovado. É um procedimento barato, mas é desfeito com a primeira lavagem do cabelo. O alisamento químico dura mais tempo e exige maiores cuidados. Os componentes químicos, formulados à base de hidróxido de sódio ou tioglicolato de amônia, precisam ser aplicados com muito cuidado para não danificar os fios. Nesse processo, é recomendável não escovar os cabelos durante pelo menos três dias.

Se você quer apenas diminuir o volume do seu cabelo, soltar um pouco os cachos e ganhar movimento, opte pelo relaxamento. O processo é idêntico ao do alisamento químico e é feito com os mesmos produtos. A diferença é que o tempo de ação dos produtos nos cabelos é reduzido pela metade, o que torna o processo menos agressivo aos fios, além de resultar numa aparência mais natural. O relaxamento exige retoques a cada 45 ou 60 dias e deve ser feito apenas na raiz para não ressecar ainda mais os fios. Ele não é indicado para cabelos tingidos ou descoloridos.

Para manter a aparência descontraída dos seus cabelos, aposente escova e secador e use condicionadores do tipo “leave-in”, ideais para modelar o cacheado. Se preferir o cabelo mais liso, faça uma rápida escova ou apele para a velha touca”, recomenda Cassolari. Embora os produtos utilizados no alisamento e no relaxamento sejam bem menos agressivos aos cabelos do que eram antigamente, redobre os cuidados na hora de escolher o profissional que irá aplicá-los e observe os seguintes cuidados:

  •  O tempo de aplicação do produto não deve exceder o recomendado.
  •  Respeite o intervalo de tempo entre as reaplicações, que pode variar de 3 a 6 meses.
  • Nunca faça alisamento se o seu cabelo já tiver passado por outros processamentos químicos, como tintura ou tonalizantes.
  • Exija a realização de uma prova de toque antes de aplicar o produto, para verificar se a sua pele é sensível aos componentes químicos.
  • Vá ao salão sem lavar os cabelos, pois a oleosidade protege e lubrifica os fios que irão receber os produtos químicos.
  • Procure lavar os cabelos com xampus e condicionadores próprios para cabelos quimicamente processados.
  • Pelo menos uma vez por semana dê banhos de creme hidratante para cabelos e, a cada 15 dias, aplique uma máscara de tratamento profundo nos fios.
  • Procure um profissional experiente e siga as recomendações para cada processamento químico em seus cabelos.

Recondicionamento térmico ou Chapinha Japonesa

Recondicionamento térmico, alisamento japonês, chapinha japonesa, retexturização ou escova definitiva são os diversos nomes da técnica de alisamento de cabelos que oferece às mulheres a chance de realizar o sonho de manter os cabelos lisos por mais tempo. A técnica tem algumas restrições: não é indicada para cabelos muito crespos, cabelos descoloridos, com mechas claras, com permanente ou que passaram por relaxamento. Regra geral: os fios precisam estar pelo menos seis meses sem receber qualquer química. Antes de tudo, é obrigatório realizar um teste prévio para determinar se o fio possui resistência para ser submetido à retexturização. Em seguida, os cabelos são lavados e hidratados. Com os fios ainda molhados, eles recebem por cerca de uma hora cremes à base de queratina e colágeno, que abrem as escamas de proteção dos fios e agem na estrutura capilar. O passo seguinte é a aplicação de produtos químicos à base de trietanoliamina, um componente menos alcalino e menos agressivo à saúde dos fios. O processo mecânico é feito, então, com a aplicação de uma chapinha térmica especial, um equipamento que ajuda a redistribuir e realinhar uniformemente a queratina, produzindo o efeito do alisamento nos cabelos. Para controlar o tempo de aplicação, o cabeleireiro faz um pequeno nó nos cabelos. Quando este nó começa a correr, o cabelo recebe a chapinha aquecida sobre os fios, em pequenas faixas. Terminado o tratamento térmico, os cabelos são enxaguados, neutralizados e hidratados com cremes adequados. “O alisamento japonês permanece de três a seis meses, prazo máximo para retocar a raiz”, afirma Cassolari. A aplicação pode durar de 3 a 12 horas, dependendo do volume e comprimento dos cabelos. Por três dias os cabelos não podem ser lavados, presos ou modelados, pois podem ficar marcados ou se romper. Após esse período, volta-se ao salão para uma nova hidratação e, a partir daí, fica-se livre de escovas, secadores e outros processos de modelagem. O resultado é a aparência de um cabelo que acabou de ser escovado, com brilho e maciez. “Por outro lado, ele perde um pouco do balanço natural”, observa Cassolari. A técnica só deve ser aplicada por profissionais devidamente capacitados em cursos ou treinamento especializados. Deve-se, ainda, obedecer rigorosamente às recomendações do profissional sobre o uso de produtos específicos para a manutenção do processo. Entre eles, os especialistas recomendam a utilização de xampus com proteínas, condicionadores de reconstrução com silicone, cremes hidratantes com queratina, neutralizantes de produtos químicos, cremes para enxágüe e finalizadores. Fonte: Natura

Produtos para alisamento e relaxamento

Os tratamentos mais solicitados atualmente nos salões de beleza são os de Relaxamento e Alisamento. À base de produtos destinados a realizá-los, atua quebrando as ligações das moléculas capilares, deixando-as em uma nova posição e modificando o formato dos cabelos. Atualmente tais produtos são formulados a partir de 3 diferentes substâncias:

Hidróxido de Sódio – São produtos alcalinos, pH 13, e uma lixívia cáustica que pode danificar os cabelos, produzindo queimaduras no couro cabeludo e até mesmo cegueira, caso atinja os olhos. São restritos ao uso por profissionais; produz um alisamento químico permanente e de eficiência máxima.

Dicas de uso: · Aplique o produto respeitando 0,05 cm de distância do couro cabeludo. . Não use calor para acelerar a ação do produto, pois pode danificar o fio e o couro cabeludo. . Não use mais de 4 vezes ao ano. . É indispensável a lavagem com neutralizante ácido após uso do produto.

Tioglicolato de Amônia – Apresentam um pH alcalino, que remove o sebo protetor, facilitando a sua penetração nos fios. Devem ser aplicados sobre os cabelos úmidos, permanecendo de 15 a 20 minutos. Esticam-se os fios com o pente, aplica-se um neutralizador para refazer as pontas em sua nova configuração. O Tioglicolato de Amônia apresenta um forte odor de amônia e também pode irritar a pele. Este produto produz um alisamento químico permanente e de eficiência moderada Dicas de uso: · Proteja a pele com vaselina sólida . Hidrate os fios antes a depois do alisamento . Não lave os cabelos 48h antes de usar o produto . Produtos formulados com Tioglicolato de Amônia são incompatíveis com Hidróxido de Sódio.

Hidróxido de Guanidina – São conhecidos como produtos sem lixívia. Essa substância também possui um pH alcalino, sem odor, sendo mais eficiente que o Hidróxido de Sódio e menos agressivo à pele. Necessita de um neutralizador ácido. O Hidróxido de Guanidina é composta por 2 ingredientes: Hidróxido de Cálcio e Carbonato de Guanidina – misturados na hora da aplicação.
Dicas de uso:

  • Para conseguir efeito relaxante e não alisante nunca use pentes durante a aplicação e o produto misturado deverá ser usado em 24h, depois perderá o efeito . Efetue a prova de toque.
  • Nunca aplique em gestantes ou em suas amigas.
  • Antes de optar por qualquer um dos tratamentos, analise todos os métodos com um profissional experiente, escolhendo um salão com referências e uma época propícia para se submeter ao processo.
  • Controle todos os tempos e etapas da “química” e certamente você terá sucesso.

Por: Sônia Corazza

óleo Dabur Amla para cabelos

Oi gente!!! Vamos falar novamente de umectação e do quanto é importante para os nossos cabelinhos crespos muito óleo para proteger de pontas duplas, queda, ressecamento…fazendo minhas “comprinhas” para cabelos encontrei um óleo fa-bu-lo-so, que eu uso não só na hidratação, mas também com os cabelos secos e deixa meus cabelos com um brilho e maciez simplesmente maravilhoso! Ele se chama óleo de Amla da marca Dabur, um óleo da índia, o segredo dos fabulosos cabelos dos indianos e indianas (que nos fazem tanta inveja…kkk). Eis aqui informações sobre o produto:

Dabur óleo de cabelo combina Amla (para não ser confundida com a nossa groselha nativa), os ingredientes ativos do Amla indiano com uma mistura de óleos vegetais e minerais, que promovem o crescimento de cabelos longos e saudáveis. Com o uso regular pode ajudar a reduzir pontas duplas e queda de cabelo. Dabur óleo de cabelo Amla foi mais de 50 anos na Índia e em todo o mundo o segredo do cabelo bonito.

aplicação:

Uma a duas colheres de chá (até 10ml) Dabur Amla espalhe o óleo no cabelo e deixe de molho (de preferência por uma hora). Em seguida, aplique um bom shampoo, massageie suavemente o xampu bem para o cabelo e couro cabeludo e, em seguida, enxaguar abundantemente. O melhor resultado é obtido através da aplicação do óleo de cabelo 3x por semana. Aplicação regular ou extra-longa de Dabur óleo de cabelo Amla pode escurecer o cabelo um pouco.

Este é um óleo muito usado pelos cabelos indianos. Mas isso não quer dizer que outros tipos de cabelo não o possam usar. Eu comecei a utilizar este óleo recentemente, e uso-o para enriquecer as mascaras de hidratação.

Este óleo segundo o que indica as instruçcões de utilização que vem na embalagem, é para ser colocado cerca de duas colheres de chá do óleo (10ml) no couro cabeludo e deixar agir por 1h. E retirar com o shampoo. Recomenda-se de 2 a 3 utilizações por semana.

Pois bem, eu pessoalmente, nem sempre o utilizo desta forma. Por vezes coloco na minha mascara de hidratação, juntamente com outros óleos, e deixo agir cerca de 45 min ou as vezes um pouco mais de tempo.

Este óleo favorece o crescimento de cabelo, mas também o faz escurecer. Por isso para quem tenha madeixas, nuances, ou o cabelo claro mesmo, e não o pretenda ter mais escuro, não o recomendo. Eu gosto de ter o cabelo escuro por isso não vejo problema em o utilizar.

O óleo Amla (groselha) é bastante liquido, tem uma aparência verde-escura como da imagem acima e tem um cheiro caracteristico..

vejamos alguns filmes sobre o óleo:

Miraculoso produto de hidratação para os cabelos!!!

Há algumas semanas fui na loja de produtos afro onde costumo comprar meus produtos para cabelo e comprei alguns produtos. Procurava também por minha máscara de hidratação que eu estou acostumada a usar, mas o vendedor me disse que infelizmente ele não teria no momento para me vender, me mostrou então um “pacotinho” de hidratação com o nome de Dr. Miracle’s “feel it formula” que pelo nome é bem pouco confiável, afinal de contas não existe nada de milagroso em produtos em geral, né? Bom, mas mesmo assim eu estava sem o meu produto normal de uso, então resolvi levar esse para testar. Eu admito, eu mesmo era um pouco cética no início porque eu nunca tinha experimentado qualquer um dos produtos do Dr. Miracle. No entanto estava disposta a provar o produto.

No domingo passado, com nada especial para fazer, decidi dar a este condicionador uma chance. Primeira coisa que notei foi o cheiro. Muuuuito forte cheiro de menta. Mas muuuuito forte mesmo! Mas isso não me incomoda, eu realmente gostei. As instruções dizem para usar uma tampa de plástico e sentar-se debaixo de um secador quente por cerca de 10-15 minutos ou 30-60 minutos sem o calor. Como eu não tenho secador ou touca térmica, optei por fazer 30-60 minutos sem calor. Eu coloquei a tampa de plástico e continuei minhas tarefas diárias, enquanto experimenta a sensação de formigamento no meu couro cabeludo (formiga mesmo, a sensação é de coloquei um vidro de menta líquida na cabeça…sensação de pastilha Halls mesmo!). Cerca de 45 minutos depois eu lavei o condicionador e fiz tudo que faço quando termino de lavar meus cabelos, coloco os leave-ins e deixo secar naturalmente. Para ser completamente honesta, fiquei agradavelmente surpresa com o resultado geral. Meu cabelo era realmente brilhante e muito macio. Ele realmente deu um aspecto livre, solto e saudável nos cabelos. Eu tenho que dizer que fiquei realmente impressionada. Quando acordei na manhã seguinte, notei que os cabelos ainda eram muito macios ao toque.

Controle de danos: Cerca de CHF 6.- cada (6 Francos Suíços, o equivalente a mais ou menos 12 Reais)

-O pacote é perfeito para levar para viagens, é pequeno e fácil de carregar.

Espero não soar como um “anúncio pago” ou um infomercial, pessoal! Eu realmente acho que isso é um tratamento de condicionamento grande e poderoso para quem está até mesmo nesse momento passando por um momento de transformação de seus cabelos, como quem está trocando de relaxamento ou de química, a um ótimo custo-realmente eu definitivamente vou usá-lo novamente.

Dicas para lindos cabelos crespos e afros

Os cabelos crespos são mais ressecados do que os lisos, porque os cachos impedem que a oleosidade produzida pelo couro cabeludo deslize sobre o fio. Isso os torna frágeis e quebradiços. Já no cabelo liso, esse óleo corre livremente da raiz às pontas, fortalecendo e hidratando o cabelo.

A única maneira de compensar essa falta de proteção natural é investindo em xampus e condicionadores específicos. Esses produtos vêm carregados de agentes hidratantes e reconstrutores, como queratina, vitaminas e óleos vegetais. Para que os cremes consigam agir no interior do fio, algumas regras têm que ser seguidas à risca: não exagerar na dose, aplicar o condicionador longe da raiz (apenas do comprimento às pontas), respeitar o tempo de pausa indicado na embalagem e enxaguar muito bem – isso se o produto não for do tipo sem enxágüe. O tratamento continua com aplicações semanais de máscaras e ampolas hidratantes para restaurar os fios. Mensalmente, uma visita ao salão para cuidados específicos ajuda a melhorar a textura e dar mais brilho aos cabelos.

Bons produtos, aplicados da maneira certa, garantem cabelos crespos mais soltos, sedosos e brilhantes.

Raiz oleosa e ponta seca é outro problema gerado pela falta de circulação do óleo pelo fio. Segundo o dermatologista Valcinir Bedin, a solução é trabalhosa: lavar os cabelos com dois tipos de xampu. Na raiz, aplica-se um produto para fios oleosos, e no comprimento e pontas, outro para fios crespos.

Modelagem

Depois de lavar os cabelos com xampu e condicionador, é fundamental aplicar produtos hidratantes sem enxágüe. Esses cremes hidratam, protegem e modelam os cachos. Já as pomadas e loções ajudam a domar fios arrepiados, muito enrolados e armados, ensina Robin Garcia, responsável pelos looks das fotos. Crespos finos e sem volume pedem mousses modeladoras para dar corpo aos fios

Armação ilimitada

Um conselho precioso para evitar fios arrepiados e armados é o de manter escovas, pentes e dedos longe dos
cachos quando estiverem secos. O atrito entre os fios gera eletricidade. Isso faz com que os cabelos armem e arrepiem. Para pentear os cabelos ao acordar, uma
dica dos cabeleireiros é borrifar os cachos com água e modelá-los com as mãos. Deixar o cabelo secar naturalmente evita que os fios armem e arrepiem. Quem tem pressa pode usar secador com difusor, mas da maneira certa: o aparelho deve ser usado de cima para baixo, nunca ao contrário, porque levanta os fios que estão crescendo, aumentando o volume em vez de diminuir. O corte também ajuda a controlar o volume dos cabelos. “Se os fios que ficam por baixo forem repicados
na raiz, é possível diminuir 50% do volume”, diz o cabeleireiro Celso Kamura. Mechas mais longas na superfície e na franja também impedem que os fios armem. A cada três meses, cortar as pontas é compromisso inadiável. O fio crespo é maisfrágil e quebra com maior facilidade.
A boa notícia no quesito estilo é que a tintura é permitida e deixa os cabelos ainda mais bonitos. “Os fios ficam mais brilhantes. A tintura só é contra-indicada para cabelos que passaram por processos químicos como alisamento”, diz o cabeleireiro Celso
Kamura.

Afro


 O fio afro é mais enrolado – por isso, ainda mais frágil e ressecado. Para tratá-lo, valem os mesmos cuidados dados aos cabelos menos crespos, mas com produtos mais potentes, específicos. Se os fios estão muito ressecados, a freqüência das hidratações, em casa ou no salão, também deve aumentar. Quando o cabelo não tem movimento, técnicas como o relaxamento (espécie de alisamento) e até a permanente, que constrói cachos, dão
forma aos fios. A permanente é indicada para cabelos excessivamente crespos – quase grudados no couro cabeludo – porque cria cachos maiores, mais definidos e soltos. A cada quatro meses o método precisa ser refeito. “Para quem tem cachos indefinidos, presos uns aos outros e sem volume, o relaxamento é a indicação correta. A técnica solta as mechas e aumenta o volume”, diz o cabeleireiro Fernando Fernandes, que também tem site (www.cabelocrespo.com.br)
com dicas de tratamentos. Para quem tem cabelo bem curto, com no máximo cinco centímetros, Fernandes aconselha a texturização. Esse método é um tipo de
relaxamento, só que mais fraco. Nos três casos, o Baby Liss é um ótimo aliado para dar maior definição e acabamento aos cachos. Depois de passar por esses
tratamentos, o uso de tinturas está proibido sob o risco de danificar os fios. Para quem deseja colorir os cabelos, Fernandes indica somente tonalizantes, como o Soft Colour ou o Colour Touch (para uso profissional), ambos da Wella.

Atenção!!! Novo produto da Gliss Kur no mercado!!!

Oi gente!!! Esse post é para trazer uma novidade da Gliss Kur (Schwarzkopf) lançada no mercado, bom, pelo menos chegou aqui na Suíça…ele vêm em uma embalagem preta, chama-se Gliss Kur , eu encontrei esses dias enquanto procurava meus tradicionais cremes para comprar então vi na prateleira da loja de cabelereiros essa linha…até um pouco engraçado porque ainda não tem nenhum tipo de propaganda ou informação sobre essa linha na internet. Mas o que posso dizer é que o produto é muuito bom!!! Em alemão ele se chama “ULTIMATE REPAIR ANTI-SCHADEN-KUR” que traduzindo no português seria como “Tratamento reparador profundo anti quebra”. E o que posso lhes dizer é que realmente ele cumpre o que promete. O produto possui fórmula com substâncias idênticas a estrutura capilar, repara qualquer problema capilar e reconstrói a fibra capilar danificada. Importante dizer também que o produto é mais um da linha Gliss Kur, por isso existe também o xampú e o condicionador, porém, eu só provei a máscara capilar!

O resultado: 95% menos quebra dos cabelos, cabelos fortes e cheios de vida.

Como usar:  Depois da lavagem normal dos cabelos, massagear o creme nos cabelos e deixar por 1 minuto. depois lavar bem eliminando qualquer resíduo.  No meu caso eu o uso misturado com minha mistura para hidratação (para conhecer minha mistura de hidratação leia o post “os 10 produtinhos para hidratação”)

Vale a pena provar esse novo produto. Infelizmente não sei se ele prevalecerá no sortimento de produtos da linha Gliss Kur ou é só um produto de promoção, ou seja, temporário. Então o melhor é fazer uma reserva comprando alguns e guardando. Se você tiver a oportunidade de comprá-lo, compre-o! Eu assino embaixo!!!

Blog também é informação!!! Soft Sheen no Brasil

Oi gente!!! Esse post que faço hoje é informativo… tendo em vista que muitas pessoas me perguntam onde comprar produtos da Soft Sheen no Brasil… hoje, fazendo uma “pesquisinha” pela net encontrei esse endereço : http://softsheen.com.br/loja/ nesse endereço você encontra produtos da Soft Sheen para compras online. Quanto a salões que trabalham com a Soft Sheen também encontrei alguns endereços, valendo aqui ressaltar que eu não conheço os salões e nem o site que “supostamente” é da Soft Sheen no Brasil, eu não tenho nenhum vínculo com abos, portanto, não posso garantir que o site é seguro ou que os endereços fornecidos abaixo ainda trabalham com a linha Soft Sheen. Segue abaixo alguns endereços encontrados na internet de revendedores e cabelereiros especializados na marca:

SOFT SHEEN DO BRASIL INDUSTRIA E COMÉRCIO SA
AVE ANTONIO C MAGALHAES, 1116 SALA 201 B – ITAIGARA
Salvador, BA – 41854900

SOFT SHEEN DO BRASIL INDUSTRIA E COMERCIO LTDA FILIAL 5
Endereço PRC XV DE NOVEMBRO, 34 – LOJA C
Bairro CENTRO, RIO DE JANEIRO
Cidade Rio de Janeiro
Estado Rio de Janeiro
CP 20010-01

Esses são dois endereços que encontrei na internet, vale a pena ligar para os nºs ou até mesmo para quem mora perto desses endereços, dar uma passadinha até lá. Boa sorte na busca dos produtos Soft Sheen!!!!

Os mais belos cabelos afros…encontre seu estilo

Cabelos crespos têm temperamento…e muita gente pensa que por ter cabelos crespos é difícil mudar o estilo, a cor, o penteado…pois saibam que isso não é verdade!!! Você pode, e deve, abusar dos modelos e penteados! Atualmente existem cores e tonalidades para cabelos crespos, tinturas feitas propriamente para quem usa produtos químicos como alisamentos e relaxantes… mas atenção! Ainda assim deve-se usar com cautela para não ressecar ou estragar os fios! Vejam fotos de belas mulheres que assumiram seus belos crespos e que usam e abusam de cores e estilos!!!

Vale só ressaltar que não pode faltar muita hidratação, umectação capilar, cremes e muito carinho na hora de pentear e lavar… e dê adeus à monotonia!!!!

No Poo… dizer não ao xampú?!

Para quem tem cabelos cacheados ou crespos, o momento de lavar os cabelos com xampu é, muitas vezes, um verdadeiro martírio. Fios embaraçados, queda e ressecamento são as principais queixas após a lavagem. A razão disso está no principal componente da maioria dos xampus: o Lauril Sulfato de Sódio (ou suas variantes), detergente responsável pela limpeza do couro cabeludo e dos fios. O problema é que ele, além de remover as impurezas presentes no cabelo, leva junto a oleosidade natural produzida no bulbo capilar, responsável pela hidratação e proteção das madeixas. Além disso, causa micro-fissuras na estrutura do fio. Mas como se livrar dos danos que o xampu causa aos cachos?

Foi lançado nos EUA um livro específico para as cacheadas (Curly Girl, de Lorraine Massey). Nele, são encontradas várias dicas de como cuidar dos cachos, inclusive a de não usar o tão temido xampu. Achou estranho? Calma! A seguir, os principais pontos abordados no livro “Curly Girl”, e dicas de produtos que prometem deixar os cachos mais saudáveis, hidratados e bonitos.

No-poo: é um método que consiste basicamente em parar de usar o xampu. Isso não significa parar de lavar os cabelos, e sim deixar de agredi-los com substâncias detergentes. De acordo com o livro, no lugar do xampu, deve ser usado um condicionador, livre de silicone e óleo mineral, nos cabelos bem molhados, friccionando bem o couro cabeludo para remover as impurezas. Após o enxágüe, aplica-se novamente condicionador, dessa vez no comprimento e pontas. Sempre que necessitar de uma limpeza mais profunda, pode ser usada uma solução de bicarbonato de sódio ou fermento químico (aquele usado em preparação de bolos), na proporção de uma colher de chá para um copo pequeno de água. A solução pode ser ajustada às necessidades do cabelo, não agride os fios e funciona como anti-resíduos.

Low-poo: um método menos radical, indicado para quem não consegue eliminar totalmente o xampu da sua rotina, vive em cidades quentes ou pratica exercícios físicos com regularidade, o que aumenta a oleosidade no couro cabeludo. Trata-se de reduzir o uso de xampu, passando a ser aplicado uma vez por semana ou a cada 15 dias. Nos demais dias, usa-se o condicionador para lavar o cabelo, conforme descrito acima. Se houver necessidade, pode ser aplicada a solução de bicarbonato durante o intervalo.

Gel no cabelo: como a maioria dos cremes sem enxágue presentes no mercado contêm óleo mineral e silicone, substâncias que ressecam as madeixas a longo prazo, uma dica do livro é o uso de gel incolor e sem álcool como modelador de cachos, amassando os fios de baixo para cima.

Período de adaptação: os cachinhos não ficaram do jeito que você queria logo na primeira semana do no-poo? Não desista! Há um período de adaptação de até algumas semanas para o couro cabeludo regular a produção de oleosidade e os fios se adaptarem à retirada do óleo mineral e dos silicones. Muitas pessoas que testaram o método a longo prazo, sentiram uma melhora significativa na saúde dos cachos.

NO-POO PARA TODOS?

Uma das dúvidas que surgem ao se ouvir falar em no-poo é se qualquer pessoa pode fazer. É importante esclarecer que nem todos podem ou precisam parar de usar xampu. O método é mais indicado para quem sofre com cabelos secos, não se adapta a nenhum tipo de xampu, sente ressecamento e quebra acentuada dos fios durante e logo após a lavagem, ou ainda se tem cabelos cacheados ou crespos.

Mas o método deve ser testado com cautela, se você:

  • não gosta de molhar o cabelo com freqüência (é fundamental lavar os fios pelo menos a cada dois dias com condicionador livre de silicones e óleos minerais);
  • usa produtos químicos de transformação no cabelo (tintura, relaxamento, etc);
  • sofre de caspa ou oleosidade excessiva no cabelo ou couro cabeludo;
  • prefere cachos mais abertos (o método aumenta a definição dos cachos, tornando-os mais anelados).

Nestes casos, o no-poo/low-poo podem não trazer o resultado desejado.

Caso perceba alguma reação indesejável, como excesso de oleosidade na raiz ou surgimento de caspa, volte a usar o xampu com mais freqüência, pois provavelmente o método não é indicado para você.

ABAIXO O SILICONE!

Você sempre ouviu que o famoso reparador de pontas com silicone faz bem ao cabelo e forma uma película protetora, não é? Pois saiba que a função dos silicones é somente realizar uma “maquiagem” nos fios, e seus resíduos não são eliminados nem mesmo com xampu normal. Para removê-lo, é preciso aplicar xampu anti-resíduos, o que acaba por ressecar os fios. A solução sugerida é abolir o silicone, o que a longo prazo mantém as madeixas saudáveis. A oleosidade natural do couro cabeludo é que protegerá os fios, assim não será preciso recorrer aos reparadores de pontas.

Alguns tipos de silicone são solúveis em água, e são encontrados geralmente em cremes sem enxágüe. Estes podem ser utilizados, já que serão removidos com a simples aplicação do condicionador. Confira aqui uma listagem para conhecer quais tipos de silicones são solúveis em água.

Várias adeptas do no-poo também não recomendam o uso de produtos com óleo mineral, especialmente no condicionador que será usado para a lavagem dos fios. Isso porque o óleo mineral forma uma barreira na superfície da pele, bloqueando os poros e não deixando a pele respirar. A mesma recomendação vale para a parafina líquida ou sólida e o petrolato. Por isso, toda atenção é pouca ao verificar a composição no rótulo dos produtos!

Prefira produtos com óleos 100 % vegetais; têm propriedades hidratantes e não danificam os fios. Esses óleos são encontrados em lojas de produtos naturais.

RECEITINHAS CASEIRAS

Além da limpeza profunda com bicarbonato ou fermento, o livro aborda outras receitas caseiras valiosas para as adeptas do no-poo ou low-poo:

Esfoliação com açúcar mascavo: uma outra forma de limpar profundamente o couro cabeludo é esfoliando-o, usando uma mistura de 1 colher de sopa de açúcar mascavo com 3 colheres de condicionador.

Spray de lavanda: para substituir os produtos à base de óleo mineral e silicone e reavivar os cachos, basta ferver 1 litro de água por uma hora, para remover as impurezas, e em seguida acrescentar 5 gotas de óleo essencial de lavanda. Depois de esfriar, coloca-se a mistura num spray. Pode ser usada quantas vezes precisar durante o dia.

Limpeza com limão: misturar o suco de 1 limão à quantidade de condicionador que vai ser aplicada nos cabelos ao lavar. Segundo o livro, o limão é melhor do que qualquer xampu e ainda funciona como tônico.

Tônico refrescante (“Love is in the Air”): tônico para cabelos secos. Misturar 4 colheres de sopa de azeite de oliva ou óleo de amêndoas (vendido em lojas de produtos naturais, pois os de farmácia contêm óleo mineral na composição), 4 colheres de sopa de condicionador e 2 a 3 gotas de óleo essencial. Para cabelos curtos, a mistura rende 2 aplicações. Misturar bem e aplicar nos cabelos. Amasse os cachos e coloque clipes para levanta-los e separa-los. Pode ser deixado de um dia para o outro ou por várias horas. Depois basta enxaguar com uma mistura de condicionador e suco de limão.

Coquetel de banana (“Fruit Smoothie”): dá brilho e balanço para os cachos. Bata no liquidificador 3 bananas bem maduras, 1 colher de chá de óleo de amêndoas e meia xícara de suco de cenoura. Passar no cabelo molhado, cobrir com toalha molhada e deixar agir por meia hora.

Hidratação com óleo vegetal: misture 1 a 3 colheres de café de óleo vegetal ou azeite de oliva, 2 a 4 gotas de óleo de lavanda. Aplique no comprimento e pontas, cubra os cabelos com filme plástico e deixe agir por 30 minutos. Enxágüe com suco de limão.

PRODUTOS RECOMENDADOS

Linha Deva Curl: queridinho das cacheadas dos EUA, contém os produtos No-poo (não-xampu, limpador sem adição de detergentes, com ativos anti-sépticos), low-poo (xampu com baixa quantidade de detergente, para uso diário e limpeza profunda), One Condition (condicionador), Set It Free (spray anti-frizz) e Angell (gel suave definidor de cachos), entre outros. O kit para viagem contém embalagens pequenas dos produtos. Atualmente, só é vendido no Brasil no salão Red Door, em São Paulo. Previsto para ser comercializado em todo o país no início de 2008.

Pré-xampu esfoliante Éh: pode ser usado semanalmente para limpar profundamente o couro cabeludo. Totalmente livre de detergentes e ainda produz uma sensação super refrescante. Custo médio: R$16, pote com 250g.

Condicionador Surya Brasil: ideal para lavar os cabelos sem deixar resíduos. A fórmula para cabelos mistos contém copaíba (ativo adstringente), maracujá e óleo orgânico de alecrim. O condicionador para uso diário contém extrato de morango e óleo essencial de buriti. Custo médio: R$7, embalagem com 300 ml. Ambos são isentos de óleo mineral e silicone.

Condicionador Flores & Vegetais: o condicionador Neutro – Fórmula Pura limpa os fios de forma suave. Custo médio: R$ 6, embalagem com 300ml.

Gel fixador cristal, BioAroma: livre de silicones, sem álcool e sem corantes. Contém Aloe Vera e pró-vitamina B-5. Promete modelar e hidratar os fios. Custo médio: R$6,50, bisnaga com 180g.

Moisturizing Gel, Yellow: Com gel de Aloe Vera e proteína do trigo, hidrata, nutre e reduz o volume. Quando aplicado nos cabelos úmidos, dá efeito de brilho molhado. Custo médio: R$19,90, embalagem de 250ml.

Shampoo Éh Orgânico – antioxidante: formulado sem sulfato, tem agentes de limpeza de origem vegetal; ideal para as adeptas do low-poo. Preço médio: R$ 16,00. Embalagem com 300ml.

Fonte: tópico Não ao Shampoo

MINHA OPINIÃO: Nem todos os produtos citados acima eu conheço, de qualquer forma, acho interessante o movimento No Poo porque todos nós sabemos que xampús realmente ressecam ainda mais os cabelos afros e crespos. Por isso, se você gosta de testar novos produtos e provar novas idéias, vale a pena testar o sistema No Poo… e viva os lindos cachos!!!

Como cuidar dos cabelos crespos

Mais volumoso e ressecado, o cabelo crespo precisa de mais cuidado e tratamento. Confira então algumas dicas para controlá-lo:

1. Defina – Para mantê-los sempre definidos, faça como a atriz Sheron Menezes e aposte no ativador de cachos. Leve o produto na bolsa e borrife de vez em quando ao longo do dia.

2. Adeus ressecado – Combata de vez o ressecamento fazendo hidratações semanais. Prefira as máscaras de aminoácidos do trigo e manteiga de karité.

3.Volume  controlado –  Para conter o volume, espalhe três gotas de óleo de silicone no cabelo molhado. Retire o excesso de umidade amassando os fios com uma toalha e use o difusor.

4. Ao natural – Se quiser deixar secar ao natural, tudo bem: é só espalhar leave-in disciplinador de cachos no cabelo úmido.

5. Produto ideal – Use diariamente um cosmético redutor de volume à base de aloe vera e proteínas – mantém a hidratação e doma a cabeleira.

6. Máscara caseira –  Outra sugestão para controlar o aspecto armado é aplicar uma máscara caseira de polpa de abacate. Amasse a fruta, aplique nos fios, deixe agir por 15 minutos e depois enxágue bem.

7. Dica de hidratação – Três vezes por semana, em casa, aplique máscara com óleo de buriti ou azeite de oliva. No salão, a cada 15 dias, hidrate com queratina vaporizada ou máscara de chocolate. Os crespos ficam suaves.

8. Truque de lavagem – Preserve a oleosidade natural: antes da lavagem, passe um pouco de óleo de silicone a partir de dois dedos da raiz. Depois, use o xampu e o condicionador normalmente.

9. Ondas perfeitas – Para um ondulado perfeito, aplique no cabelo ensopado o equivalente a uma moeda de 1 real de gel modelador e, por cima, uma bola (de tênis) de musse. Amasse com uma toalha e deixe secar naturalmente.

10. Fios sob controle – Truque para o crespo não armar: misture cinco gotas de gloss com um punhado de gel líquido e aplique nos fios ainda úmidos.

11. Na hora do banho – Quando não for lavar o cabelo, no banho, proteja os fios da umidade (e do frizz) com uma touca plástica.

12. O pente ideal – Adote pente de madeira de dentes largos para desembaraçar os fios úmidos.

E sabem mais o quê??? Aproveitei esse post para colocar mais lindas fotos de cabelos crespos!!! São ou não são lindos e bem tratados?

Vamos falar de umectação capilar?

Oi gente!!! Lá estou eu aqui novamente, dessa vez para falar sobre a umectação capilar.

Mas o que é a umectação?

Esse tratamento tem como base o uso de óleos vegetais (coco, semente de girassol, amendoim, rícino, jojoba, oliva, sésamos, extrato de aloe vera, amêndoa doce, semente de uva, gérmen de trigo ec.) ou manteigas puras (karité, cacau, cupuaçu, abacate, cereais, manga etc.) para hidratar, repor lipídios, a umidade dos fios e assim devolver brilho, balaço e flexibilidade aos fios.

Pode-se adicionar gotas de óleos essenciais aos óleos citados acima.

O óleo mineral não é indicado para este tratamento, pois este não consegue ser absorvido pelo fio, só encapa e faz efeito de maquiagem. Há casos também do óleo mineral deixar o cabelo ressecado já que por ele encapar o fio impede a penetração de ativos de tratamento. Por isso, antes de comprar seu óleo leia bem a embalagem, verifique na composição se ele é puro pois geralmente esses óleos vendidos em perfumaria são basicamente óleo mineral com corante e fragrância.

O uso é simples, basta aplicar nos cabelos secos ou molhados mecha por mecha, sempre enluvando, massagear e pausar com touca de alumínio, plástica, ou sem touca mesmo. Pode-se usar uma touca térmica nesse tratamento, sempre tomando o cuidado de esquentar a touca antes de colocá-la na cabeça, retirando-a da tomada, para que o calor apenas ajude o óleo a penetrar no fio sem fritá-lo. O tempo de pausa é variável, pode ser desde uma noite inteira até alguns minutos. Depois disso basta lavar os fios normalmente.

Eu fiz uma umectação somente com azeite de oliva extra virgem (uma vez que é muito acessível comprá-lo e que eu também ainda não procurei os outros óleos). Passei o óleo nos cabelos ainda secos, enluvei, coloquei na touca normal, não térmica e deixei por 20 minutos. Depois lavei normalmente com xampú e condicionador e fiz minha hidratação normal (que também leva azeite de oliva na mistura).

RESULTADO: Bom, realmente o cabelo fica mais brilhante, aparentemente macio, mas achei que o cabelo ficou muuuuito oleoso, o que não é normalmente, e o brilho penso que é derivado do óleo que ficou no cabelo. Bom, para ser mais clara, não gostei de fazer o procedimento somente com azeite purinho nos cabelos, eu já costumo utilizar o azeite nas minhas hidratações e sempre fica muuuito bom, então, penso que continuarei fazendo assim e nunca mais com o azeite puo nos cabelos! Pode ser que com outros óleos funcione muito bem, mas somente com o óleo de oliva, não gostei!

Eu comprei um novo condicionador que leva na sua composição óleo de Argan que já andei lendo, é muito bom para fazer umectação. Farei minhas hidratações agora com esse condicionador, depois volto aqui para dizer a vocês o resultado. Até a próxima!!!!