Os cabelos lindos de Taís Araújo

Oi gente!!! Nossa… vocês já viram que cabelo sensacional o da Taís Araújo? Simplesmente maravilhoso!!! Aqui na Europa a novela não passa, mas internet tenho sempre!!! hehehe… assim vejo sempre fotos e vídeos dela, porque esse cabelo simplesmente me dá inspiração para ter o meu assim também!!!

Aqui trecho que mostra como foi o trabalho de transformação dos cabelos de Taís:

Novela nova….visual novo!

É o que a atriz Taís Araújo está vivendo na nova novela das 8, Viver a Vida de Manoel Carlos.
A personagem Helena tem um estilo próprio e de muita atitude com cachos naturais e corretamente armados!
A atriz assume que está feliz e aliviada com a personagem, que está lhe dando uma trégua às escovas e chapinha! “Lavo a cabeça com xampu, condicionador, passo um leave-in e saio. Não tem mais escova, nada. Estou pronta!”, conta Taís.

O novo visual foi idéia do maquiador Fernando Torquatto, responsável pela criação de beleza do elenco da novela Viver a Vida. Ele buscou inspirações da modelo internacional, Iman Abdulmajid, esposa do músico britânico David Bowie. “Ela surgiu no final dos anos 70, ainda antes da Naomi, que era considerada a rainha negra. Iman tem todo aquele charme dos anos 80. Não quis fazer algo idêntico, mas foi uma inspiração”, esclarece.

Depois do conceito ser aprovado pelo diretor da trama, Jayme Mojardim, o cabeleireiro, Wilson Eliodorio que cuida há quatro anos nos cabelos de Tais foi chamado para fazer a mudança!

Os cachos naturais da personagem ganharam um realce a mais com a aplicação de um megahair de fios naturais. Os fios são importados do Haiti e devem ser reaplicados a cada três meses.

Eliodoro explica que para o look foi utilizado 50% de megahair e os outros 50% são os próprios fios da atriz. E para que os cachos fiquem o mais natural possível, o magahair foi submetido a um permanente.
Também foram usados dois tons diferentes para a cor dos novos fios da morena! O loiro médio e o marrom frio, além das pontas serem levemente mais claras.

Para finalizar, o corte é longo e arredondado, com desfiados por todo o comprimento.

Para dar brilho e maciez, foi realizada uma progressiva que também ajuda a soltar os cachos.

O visual da personagem Helena é bem diferente do de Alicia, a última personagem interpretada por Taís Araújo na novela “A Favorita”. Por causa do entrelaçamento dos fios lisos aplicados nas mechas naturais, os cuidados tiveram que ser redobrados, pois o cabelo da atriz ficou muito danificado e sensível.

Porém a técnica não tinha ação química, o que ajudou a manter os cachos naturais da moça.

A mudança já está fazendo muito sucesso e promete com que muitas outras mulheres sejam adeptas ao penteado!
Os cabeleireiros confirmam que, a nova moda agora, é deixar os fios com aspecto de mais natural possível!

Aposte você também! E assuma as suas madeixas com o maior estilo!

Anúncios

Elgydium…a pasta de dentes que curou meu problema de periodontite!!!

Oi gente!!! Aqui estou eu para falar desse problema que incomoda tantas pessoas nesse mundo inteiro: o mau hálito. Ao contrário do que muita gente diz, o mau hálito muito raramente é causado por problemas de estômago, quase 99% do mau cheiro é proveniente da língua e dentes. A periodontite é uma da principais causas do mau hálito. Por minha experiência própria, eu tinha muito mau hálito e podia escovar os dentes de cinco em cinco minutos que não resolvia nada. Infelizmente enquanto muito jovem eu não tive os cuidados necessários com meus dentes, por isso, paguei (e caro!) o preço de meu desleixo. Ano passado fui ao dentista e gastei realmente muito dinheiro com uma limpeza profunda na minha gengiva e dentes, e, após isso, tenho feito a manutenção em casa sempre com a minha pasta de dente, Elgydium, e meu antisséptico bucal, Dentohexim. E tenho tido resultados muito satisfatórios, inclusive um de meus dentes inferiores estava um pouco móvel antes do tratamento e agora está beem melhor! Recomendo a todos que tenham problemas de periodontite que usem esses dois produtos, Elgydium-Dentohexim, porém, não deixem de procurar o dentista!

Periodontite…o que é e como funciona o tratamento.

A periodontite (piorréia) ocorre quando a gengivite estende-se até as estruturas de suporte do dente. A periodontite é uma das principais causas de perda de dentes em adultos e é a principal causa em pessoas idosas.

Causa

A maioria dos casos de periodontite é decorrente do acúmulo prolongado de placa e de tártaro entre os dentes e as gengivas. Ocorre a formação de bolsas entre os dentes e as gengivas, as quais estendem-se para baixo, entre a raiz do dente e o osso subjacente.

Essas bolsas acumulam placa bacteriana em um ambiente sem oxigênio, o que promove o crescimento de bactérias. Se o problema persistir, ocorrerá uma grande destruição do maxilar adjacente e o dente irá se tornar frouxo. O grau de desenvolvimento da periodontite difere consideravelmente, mesmo entre indivíduos que possuem quantidades similares de tártaro.

Isto ocorre provavelmente porque as suas placas contêm tipos e quantidades de bactérias diferentes e também porque os indivíduos respondem de forma diferente às bactérias. A periodontite pode produzir episódios de atividade destrutiva que duram meses, os quais são seguidos por períodos nos quais a doença aparentemente não causa maiores danos.

Muitas doenças (p.ex., diabetes mellitus, síndrome de Down, doença de Crohn, a deficiência de glóbulos brancos e a AIDS) podem predispor à periodontite. A periodontite evolui rapidamente nos indivíduos com AIDS.

Sintomas e Diagnóstico

Os sintomas iniciais da periodontite são o sangramento, a hiperemia gengival e a halitose. Os dentistas mensuram a profundidade das bolsas nas gengivas com uma sonda fina e as radiografias revelam o grau de perda óssea. À medida que a destruição do tecido ósseo aumenta, os dentes tornam-se frouxos e mudam de posição.

Freqüentemente, os dentes da frente projetam-se para fora. A periodontite geralmente é indolor até os dentes tornaremse suficientemente frouxos e serem movidos durante a mastigação ou até que ocorra a formação de um abcesso (acúmulo de pus).

Tratamento

Ao contrário da gengivite, que geralmente desaparece com um bom cuidado bucal, a periodontite exige cuidados profissionais. Um paciente com uma boa higiene bucal pode limpar apenas 2 mm sob a linha gengival.

O dentista pode limpar bolsas com até 5 mm de profundidade utilizando uma cureta e uma lima de ca- panal, que remove totalmente o tártaro e a superfície doente da raiz. Para bolsas de 6 mm ou mais, a cirurgia freqüentemente é necessária.

O dentista ou o periodontista também pode remover parte da gengiva separada para que o restante da gengiva possa aderir firmemente aos dentes e o indivíduo possa remover a placa em casa. O dentista pode prescrever antibióticos, especialmente quando ocorre a formação de um abcesso.

Ele também pode inserir filamentos impregnados de antibióticos nas bolsas profundas, de modo que concentrações elevadas dessas substâncias possam atingir a área doente. Os abcessos periodontais causam uma exacerbação da destruição óssea, mas o tratamento imediato (cirúrgico ou com antibióticos) permite a recuperação da maior parte do osso lesado.

Quando a boca permanece inflamada após a cirurgia, o enxágüe bucal com clorexidina durante 1 minuto, duas vezes ao dia, pode substituir temporariamente a escovação e o uso do fio dental.

Pasta de dentes Elgydium: Informações gerais:

Tubo 100GPasta Dentífrica para prevenir e tratar complicações gengivais. Gengivas

  • Com Clorohexidina e Cálcio.
  •  
     
     

            

    Elgydium Gengivas Pasta Dentária

    A integridade das gengivas é essencial para toda a saúde da cavidade oral, dado que os problemas gengivais estão na origem de 50% das extracções dentárias. Estes problemas estão relacionados com a presença de placa bacteriana entre o dente e a gengiva (suco gengival).

    Indicações

    Higiene diária dos dentes. Prevenção da formação de placa bacteriana. Prevenção dos problemas gengivais.

    Resultados
    A clorohexidina devido às suas propriedades anti-séticas previne a formação da placa bacteriana. O cálcio favorece a reconstituição do colagénio da gengiva e o desaparecimento das pequenas hemorragias gengivais.

    Utilização
    Escovar os dentes após as refeições durante 3 minutos no mínimo. Aconselha-se a utilização de uma escova macia

    Seus cachos merecem cuidado!

    Oi gente!!! Aqui estou eu para dar mais algumas dicas para cabelos crespos…

    Cabelos crespos, apesar de parecerem sempre mais grossos e fortes, são os tipos de cabelos mais fracos e os que mais precisam de cuidados e manutenção. Por isso é necessário alguns hábitos que farão com que seus cabelos fiquem maravilhosos, fortes, volumosos e brilhantes. Vamos às dicas:

    1º Lave a cabeça com água morna, fazendo massagens suaves com a ponta dos dedos. Nunca use água quente e enxágüe bem os cabelos para retirar todos os resíduos do shampoo e condicionador.

    2º Nunca durma com os cabelos molhados,

    3º O uso excessivo dos secadores e chapinhas ressecam os fios. Quando usá-los não coloque muito próximos dos fios e utilize sempre produtos específicos como o Defrizante para facilitar o processo e proteger os cabelos

    4º Cabelos ressecados precisam de hidratação com produtos específicos. A máscara Capilar, por exemplo, é capaz de nutrir e fortalecer os cabelos, deixando os fios mais maleáveis e brilhantes.

    5º Não force ao tentar desembaraçar. Use os pentes tipo garfo, com dentes largos, de preferência de madeira envernizada, que não possuem farpas. O ato de pentear pode ser facilitado quando você utiliza produtos específicos como o Creme de Pentear.

    6º Os relaxamentos também exigem cuidados especiais. Certifique -se de que pelo menos 5 centímetros sejam de cabelo virgem, antes de submeter ao processo. Após o relaxamento, faça sempre hidratações com a Máscara de hidratação.

    Domar os cachos

    Recomendamos fazer um banho de creme com aloe-vera e secar apenas acertando os cachinhos. Se for o caso utilize gel ou babyliss para domar os cachos.

    Seguindo essas dicas, o seu cabelo vai ficar lindo e você, com certeza, vai arrasar!!!

    Aprenda a cuidar direitinho de seus cabelos crespos

    Oi gente! Bom, hoje é meu dia de folga do meu trabalho, por isso, dedico algumas horinhas da manhã aos meus cabelos e pele. Normalmente eu lavo meus cabelos 1 vez por semana, mas é possível até 2 vezes por semana e os cabelos ficam muito bonitos e macios. Como já disse em algum post anterior, meus cabelos são crespos e armados, por isso, o trabalho de cuidar dos cabelos é redobrado. São sempre mais cremes, leave-in e por aí vai. Mas para ter um cabelo crespo bonito e saudável é necessário mais que somente um cremezinho nos cabelos, afinal de contas, quem tem cabelos crespos não pode querer fazer como quem tem cabelos lisos, lavar, enxugar e…pronto! Os cuidados são extras e mais uma coisa é importante quando se fala de beleza, não só dos cabelos, como de tudo, é começar a se tratar por dentro, porque a beleza começa mesmo de dentro para fora. Mas vamos falar desse assunto num próximo post. Nesse post gostaria de mostrar como deve se fazer para lavar um cabelo crespo (acreditem, também existe uma técnica). Quem dá a dica é a Zica, dona de uma das maiores franquias de salões de cabeleireiros afros do Brasil, o Beleza Natural. Aqui já deixo bem claro que eu não tenho nenhum vínculo com a empresa, só porque o filme mostra exatamente como você deve lavar, passar os cremes de hidratação e leave-in. Portanto assistam e sigam os passos da Zica e tenho certeza que seu cabelo vai fazer muito sucesso e receber muitos elogios!

    Clorexidina para combater doenças da gengiva

    Oi gente!!

    Vocês sabiam que a Clorexidina, presente em algumas pastas de dentes e enxaguantes bucais é um ótimo remédio para a periodontite e a gengivite? Pois é, eu tenho periodontite e, por isso eu tenho cuidados redobrados quando se trata de limpeza bucal. Eu faço uso de uma pasta de dente chamada Elgydium e um enxaguatório bucal chamado Dentohexim e tem resolvido 99% dos meus problemas bucais, dentre eles o pior que é o mau hálito. Falarei mais detalhadamente sobre esses produtos em meus próximos posts. Por enquanto, aqui tenho abaixo informações sobre a substância clorexidina, seu uso e efeitos colaterais.

    Uso e AdministraçãoO Digluconato de Clorexidina é uma guanida com efeito anti-placa maior que outros agentes antimicrobianos, devido à sua acentuada capacidade de absorção aos dentes e às superfícies mucosas, com posterior liberação na cavidade oral em níveis terapêuticos, sendo liberada no período de 24 h.
    Quando usada em altas concentrações, possui efeitos bactericidas e, em baixas concentrações, exerce efeito bacteriostático presente na placa.
    Pesquisas demonstram que o bochecho durante 1 minuto, 2 vezes ao dia, com 10 ml da solução a 0,2% de clorexidina, previne completamente o desenvolvimento da gengivite. Os bochechos devem durar de 30 a 45 segundos, para assegurar uma boa absorção, e não é recomendado o seu uso imediato antes ou após a escovação com dentifrícios não convencionais.
    Preferencialmente, os bochechos devem ser feitos após a última refeição do dia.
    A clorexidina sob a forma de gel 0,5% tem sido usada também no tratamento de estomatites e candidíase oral, aplicada por um período de 5 minutos, 1 ou 2 vezes ao dia. é uma boa alternativa para a manutenção da higiene oral em crianças com deficiência física ou mental, cujo controle mecânico da placa é impossível de ser atingido. O spray também é uma opção neses casos, sendo que os métodos normais de higiene oral podem ser difíceis e demorados, por ser de fácil aplicabilidade e tão efetivo quanto a solução aquosa no controle da placa e da gengivite.

    Indicações Clínicas

    1. Durante a fase de cicatrização, pós intervenções cirúrgicas orais;
    2. /antes do procedimento cirúrgico-oral, ou periodontal, para prevenir bacteriemia pós-cirúrgica;
    3. Durante a terapia de ulcerações aftosas;
    4. Durante o tratamento de estomatites protéticas;
    5. Pacientes com deficiência física ou mental;
    6. implantes dentais;
    7. Pacientes que apresentam alta atividade de cárie;
    8. Portadores de aparelho ortodôntico;
    9. No momento da moldagem;
    10. Junto com a pasta profilática;
    11. Na instrumentação de canal;
    12. Associado ao cimento cirúrgico.

    Efeitos Colaterais

    A Clorexidina pode penetrar na mucosa oral, mas a quantidade é provavelmente muito pequena. todavia, alguns efeitos colaterais pouco sérios têm sido relatados como descolorações nos dentes, em restaurações, no dorso da língua, descamação e sensibilidade oral. O gosto amargo da solução e a interferência na sensação gustativa por algumas horas após o bochecho têm sido relatados,

    A descamação e a sensibilidade da mucosa oral, que parecem ocorrer em poucos pacientes, podem ser facilmente evitadas através da redução de concentração da solução aplicada. Portanto, a Clorexidina, como qualquer outro agente antimicrobiano potente, deve ser administrada somente sob supervisão profissional, e os diferentes métodos de aplicação devem ser adaptados às necessidades individuais do paciente.

    Apresentação

    – Digluconato de Clorexidina em solução a 0,12%;
    – Digluconato de Clorexidina em spray a 0,2%;
    – Digluconato de Clorexidina em gel a 0,5%
    – Digluconato de Clorexidina em sabonete líquido a 2,0%, 4,0%
    – Digluconato de Clorexidina em solução aquosa a 2,0%;
    – Digluconato de Clorexidina em solução alcóolica a 0,5%.

    Observações

    Estudos realizados nos Estados Unidos evidenciaram que não ocorrem efeitos colaterais em pacientes imunodeprimíveis (renais crônicos, portadores de HIV, etc.), sendo aconselhável associar a Clorexidina com a dietaterapia, pois, desta foram, ocorrerá a redução da microbiota oral e, ao mesmo tempo, será mantida.

    Periodontite: não tratar pode levar a perda dos dentes

    Gengiva com periodontite avançadaO que é

    Conforme relata o Dr. Sérgio Lima, especialista em periodontia, a palavra periodontal deriva do Grego e significa “ao redor do dente”.

    De acordo com informações de especialistas, a doença periodontal acomete os tecidos em torno dos dentes (gengiva, osso e ligamentos de suporte dos dentes). Convém destacar que a manifestação é, muitas vezes, indolor.

    A periodontite deverá ser tratada por um dentista ou um periodontista (um dentista especializado no tratamento das doenças gengivais).

    Segundo informa a Dra. Rosileine Uliana Rodrigues, periodontista, as doenças periodontais mais comuns são a Gengivite e a Periodontite e caracterizam-se por processos inflamatórios nos tecidos moles que, no caso da Periodontite, leva à reabsorção do osso alveolar, podendo levar à perda do dente, enquanto que na Gengivite não há alteração óssea, pois a inflamação só atinge a gengiva.

    Causas

    Segundo o Dr. Eduardo Rubio, Professor assistente de Periodontia da Universidade Camilo Castelo Branco, o agente causador da doença é a placa bacteriana que se acumula sobre as superfícies do esmalte dentário e no sulco da gengiva. Com a evolução da inflamação gengival, as fibras e tecidos que suportam os dentes são comprometidos. Como decorrência, um ou mais dentes podem ficar abalados: é a conhecida reabsorção óssea. Segundo o Dr. Rubio, conforme o grau de destruição óssea, pode ocorrer a perda do dente sem nenhuma sintomatologia dolorosa.

    Ainda, de acordo com a Dra Rosileine, o sangramento é o sinal mais característico da doença e deve ser investigado assim que for percebido pelo paciente.

    O Dr. Sérgio esclarece que a placa bacteriana é como “uma massa grudenta de germes nocivos. Os cientistas descobriram que cerca de 6 dos 300 germes encontrados na boca podem causar doenças gengivais”.

    Diferenciando da Gengivite

    A gengivite, como o nome indica, é uma infecção da gengiva. Como decorrência, a gengiva se torna avermelhada, inflamada e pode sangrar durante a escovação. Trata-se de uma forma branda de doença que não inclui qualquer perda do osso e dos tecidos que seguram os dentes. A gengivite pode ser geralmente revertida com a escovação regular e o uso do fio dental. Entretanto, os periodontistas esclarecem que, se não for tratada, a gengivite pode progredir para uma periodontite.

    Tipos de Manifestação

    A periodontite de progressão lenta tem como características: A inflamação gengival, formação de bolsa e perda óssea. Especialistas explicam que, em alguns casos, pode ocorrer mobilidade do dente e, até, em casos extremos, a migração. Regularmente, ela atinge a maioria dos dentes.

    Outro tipo de manifestação é a periodontite de progressão rápida, que pode ocorrer em pacientes desde a puberdade, até a idade adulta. O Dr. Rubio explica que pode ocorrer a formação de bolsas muito profundas e perda óssea rápida.

    Já a periodontite juvenil faz parte de um grupo de doenças periodontais severas que aparecem no início da puberdade e caracteriza-se pela destruição do periodonto de sustentação. Trata-se de uma doença crônica inflamatória, onde ocorre grande destruição óssea. Pode ser classificada de duas formas: localizada, afetando os primeiros molares e incisivos permanentes. Na manifestação generalizada, outros dentes são afetados, além dos molares e incisivos.

    Novamente, segundo Dr. Rubio, a doença atinge crianças saudáveis na faixa etária entre 11 e 13 anos de idade, preferencialmente meninas. A gengiva pode apresentar textura e cor normais, e pequena quantidade de placa em comparação ao grau de destruição óssea presente.

    Outra manifestação é a periodontite de rápida progressão no adulto, doença agressiva com elevado grau de destruição óssea, que se manifesta em adultos acima de 20 anos. O tecido apresenta-se inflamado, ulcerado e muito vermelho; com sangramento espontâneo, ou frente a um leve toque. Especialistas acrescentam que em algumas áreas, como nas de perdas ósseas, pode ocorrer supuração. Em outros casos, o tecido gengival pode aparentar normalidade, contudo com bolsas profundas. Convém destacar que algumas pessoas apresentam perda de peso, depressão e outras deficiências imunológicas.

    A periodontite crônica do adulto, outra forma da doença, ligada à placa bacteriana e à higiene bucal, apresenta progressão lenta, com inflamação gengival, perda de inserção periodontal e osso alveolar e formação de bolsa. Além disso, pode ocorrer sangramento gengival espontâneo, perdas ósseas e mobilidade dental. Esta doença acomete ambos os sexos, após os 30 anos.

    Halitose

    Novamente, segundo informações da Dra. Rosileine, uma das causas do mau hálito são as doenças periodontais, principalmente a Periodontite, pois quando há o comprometimento ósseo, formam-se as bolsas periodontais, com inflamação dos tecidos, onde se concentram e proliferam bactérias que se alimentam dentre outros substratos, de proteínas do sulco gengival, da saliva e de carbohidratos. Essas bactérias se decompõem ocasionando cheiros muito desagradáveis: é o mau hálito. A placa associada com lesões periodontais leva bactérias para outras regiões orais como o dorso da língua, onde se colonizam contribuindo para a instalação do mau odor oral, esclarece a especialista.

    Tratamento

    De acordo com os especialistas, as doenças periodontais são tratadas através do controle da infecção e da remoção da placa que contém os germes nocivos.

    Para se remover a placa, pode-se fazer a raspagem, retirada da placa endurecida (tártaro), de tecidos de granulação e toxinas da gengiva. Já o alisamento da raiz do dente elimina pontos de acúmulo de germes, permitindo que a gengiva fique mais aderida ao dente.

    Outra alternativa é o uso de um líquido para higiene bucal contendo uma clorhexidine. Os dentistas podem prescrever antibióticos que ajudam a eliminar os causadores da periodontite.

    Os periodontistas apontam para a necessidade de revisão periódica, a cada quatro meses, para se controlar a formação de novas placas bacterianas.

    Segundo informa a Dra. Rosileine, o principal objetivo do tratamento é estabilizar as perdas e assegurar que o trabalho conjunto do profissional e do paciente evite o retorno ou agravamento do quadro periodontal.

    De acordo com o Dr. Rubio, o tratamento da periodontite juvenil está associado aos mesmos procedimentos acima descritos, e administração de antibióticos na fase de raspagem e cirurgia periodontal, onde os resultados alcançados são satisfatórios. Também a utilização de irrigação das bolsas periodontais com tetraciclina e clorhexidine colaboram de maneira a inibir a proliferação bacteriana.

    A cirurgia pode ser necessária, caso a raspagem e o alisamento não controlarem a doença, ou se esta estiver muito avançada e incluir perda óssea ao redor dos dentes. Como esclarece o Dr. Lima, “um anestésico local é administrado fazendo com que o paciente não sinta qualquer dor ou desconforto. A cirurgia é realizada levantando-se a gengiva, removendo-se o tártaro e suturando-a de volta no lugar”.